CENTRAL DE ATENDIMENTO: (21) 3237-9200  |  CONTATO@IBOL.COM.BR  |  INTRANET  |  INÍCIO  |  

IBOL - Instituto Brasileiro de Oftalmologia

Livre dos óculos

Discussões sobre a prescrição de lentes de contatos para casos desafiadores com diferentes históricos oftalmológicos foi o foco da reunião científica do IBOL no mês de fevereiro de 2017. A Dra. Clara Bartha de Mattos Almeida, especialista em córnea e lentes de contato, apresentou aos médicos do Instituto alguns casos de pacientes com baixa acuidade visual e que não puderam ou não conseguiram se adaptar a lentes rígidas ou gelationosas, as mais convencionais.

A lente escleral e algumas de suas indicações foram o principal assunto. Um dos casos relatados pela Dra. Clara Bartha refere-se a paciente com ceratocone, uma doença que afeta o formato e a espessura da córnea, que fica como um cone, daí o nome. Essa condição, muitas vezes, impossibilita o uso das lentes convencionais. Mesmo para esses casos há outras opções como essa lente escleral que é também indicada para outras doenças oftalmológicas como o pós trauma da córnea.

As lentes esclerais têm um formato de copo, onde é inserido um líquido. Este copo é apoiado na esclera, a parte branca do olho. A grande vantagem é que ela é colocada em uma parte do olho de poucos nervos, além de não se mover. Então, depois de adaptado, o paciente sente muito conforto. A limitação desse tipo de lente é o tempo de uso: 8 horas, explicou a Dra Bartha.

A médica também abordou sua experiência na adaptação de lentes de contato em criança e relatou o caso de uma menina, de cerca de quatro anos, que havia sofrido um trauma no olho com caco de vidro. Neste caso, foi feita a adaptação com uma lente rígida e a criança ficou com uma acuidade visual excelente. Dra. Bartha explicou que o mais frequente é a prescrição de lentes a partir dos seis anos, mas a supervisão dos pais é indispensável. Ela explicou que os responsáveis optam pelas lentes de contato quando os filhos fazem algum esporte ou atividade que é prejudicada ou inviabilizada com óculos, como apresentações de dança ou judo. Nesses casos, a Dra. Bartha falou que dá preferência a lentes com descarte diário para evitar contaminações e infecções.


© 2017 IBOL - A cópia deste conteúdo está autorizada, desde que citada a fonte.