CENTRAL DE ATENDIMENTO: (21) 3237-9200  |  CONTATO@IBOL.COM.BR  |  INTRANET  |  INÍCIO  |  

IBOL - Instituto Brasileiro de Oftalmologia

Novas terapias para glaucoma

Cerca de 40% dos pacientes com hipertensão ocular precisam usar mais de uma medicação para o controle da pressão ocular. Nem todos esses pacientes podem contar com o auxílio de familiares ou acompanhantes para o pinga-pinga de colírios. Essa equação acaba prejudicando a adesão de pacientes ao tratamento e o resultado pode ser o avanço do glaucoma e a cegueira.

Na última reunião científica, realizada em abril no IBOL, a Dra. Maria Vitória Moura Brasil apresentou estudos e testes clínicos com novos dispositivos que liberam medicamentos automaticamente por até três meses, ou seja, trazem para a vida desses pacientes maior agilidade e facilidades.

Vários dispositivos na forma de lentes de contato, plugs de pontos lacrimais, anéis oculares e implantes intra oculares e subconjuntivais estão sendo testados pela indústria farmacêutica e que, num futuro próximo, poderão auxiliar tanto no tratamento do glaucoma como de outras doenças oftalmológicas. Dra. Maria Vitória ressalta como essa tecnologia poderá mudar de maneira profunda a forma como os pacientes receberão seus tratamentos.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que 65 milhões de pessoas já foram diagnosticadas com glaucoma em todo o mundo – dessas, 900 mil são brasileiras.

Provocada pela elevação da pressão ocular, a doença não tem cura e, quando não é tratada, pode levar à cegueira. Os oftalmologistas, especialistas em glaucoma, alertam que o grande desafio é alertar a população que a doença é silenciosa e, quando os primeiros sintomas aparecem, a doença pode estar em estágio mais avançado, o que torna o controle mais difícil. Por isso, é importante a visita ao oftalmologista pelo menos uma vez ao ano.


© 2018 IBOL - A cópia deste conteúdo está autorizada, desde que citada a fonte.