CENTRAL DE ATENDIMENTO: (21) 3237-9200  |  CONTATO@IBOL.COM.BR  |  INTRANET  |  INÍCIO  |  

IBOL - Instituto Brasileiro de Oftalmologia

Tumores oculares

Vários tipos de câncer também podem afetar os olhos e para falar sobre a importância da classificação e da precisão na descrição de cada um, a Dra. Patrícia Correa de Mello Araújo, especialista do IBOL em oncologia oftalmológica, foi a conferencista da última reunião científica, realizada no mês de abril.
 
 A descrição ajuda o oftalmologista a identificar de forma precisa o tipo de lesão: se é um tumor de coroide, de retina, se envolve o nervo óptico, ou o corpo ciliar ou ainda o epitélio, se é ou não pigmentado, em qual quadrante se localiza. Formato, coloração, margem e dimensão também são informações importantes na descrição, ela ressalta. Esses são alguns aspectos que ajudam a fechar um diagnóstico e também se é um tumor primário ou uma metástase e, assim prever um prognóstico e qual a melhor abordagem terapêutica. 
 
 Na oncologia oftalmológica, é importante distinguir nevus de lesões melanocíticas indeterminadas de melanomas, hemangioma de coroide, metástases para coroide, osteoma de coroide, tumores de retina, hemangioma capilar de retina, astrocitoma e tumor vasoproliferativo. Os nevus, à princípio, são pequenas lesões benignas e tanto os nevus como as lesões indeterminadas precisam de acompanhamento. Já os melanomas são tumores malignos e necessitam de tratamento e intervenções cirúrgicas. 
 
 Dra. Patrícia abordou ainda fatores de risco para a ocorrência dessas lesões, os exames para detecção e classificação correta, ressaltou ainda o controle absoluto que recomenda aos seus pacientes no IBOL e os tipos de intervenções para cada caso, incluindo a radioterapia e ressecção local.

© 2019 IBOL - A cópia deste conteúdo está autorizada, desde que citada a fonte.